Governo de Santa Catarina vai criar fundação para captar recursos para reforma da ponte Hercílio Luz

O secretário de Infraestrutura de Santa Catarina, Valdir Cobalchini, anunciou ontem (22), em visita técnica à Ponte Hercílio Luz, em Florianópolis, que o governador do Estado, Raimundo Colombo, deve enviar à assembleia legislativa do Estado um projeto de lei para a criação da Fundação Ponte Hercílio Luz, que será responsável pela possível captação de recursos via Lei Rouanet para a reforma da ponte. O objetivo é que a reforma não seja bancada pelo Orçamento do Estado.

“A ponte é um patrimônio histórico e cultural do Brasil e não mais uma obra de infraestrutura, por isso precisa ser restaurada com recursos da Lei Rouanet”, afirma Cobalchini. Segundo Henilton Menezes, secretário de Fomento e Incentivo à Cultura, do Ministério da Cultura, esse “será o maior projeto, em valor (R$ 170 milhões), já apresentado à Lei Rouanet e temos todo o interesse de acompanhá-lo pela importância desse patrimônio, não apenas para Santa Catarina, mas também para o Brasil”.

A Hercílio Luz tem problemas estruturais desde 1991, quando foi interditada. As obras de restauro serão conduzidas pelo Consórcio Florianópolis Monumento (CFM), e têm como principal desafio a troca das quatro sequências de barras de olhal -, totalizando 360 barras de 800 t – que suspendem o vão central.

As rótulas estruturais da ponte também trazem problemas e deverão ser trocadas antes da substituição das barras de olhal, pois já estão rígidas e não fazem mais o contrabalanceamento dos movimentos da ponte, além de estar com trincas e alto nível de corrosão. “O problema foi que, quando a rigidez das rótulas foi detectada, o processo de restauração já havia se iniciado, e teve de ser interrompido”, explica Paulo Meller, atual presidente do Deinfra (Departamento Estadual de Infraestrutura).

Atualmente, está sendo construída uma segunda ponte metálica, de estrutura parcialmente submersa, que deverá dar apoio à Hercílio Luz, para que, por um lado, rótulas sejam reparadas e, por outro, as barras possam ser finalmente trocadas. A estrutura provisória terá 16 pilares de 34 m de altura formados por tubos de aço com 1 m de diâmetro preenchidos com concreto armado. Cada quatro pilares sustentarão um bloco misto de aço e concreto. A ponte será suspensa no máximo em 20 cm para aliviar a tensão das cargas, possibilitando, assim, a troca ou reparo das rótulas.

A estrutura é patrimônio tombado pelo município (1992), pelo Estado de Santa Catarina (1997) e reconhecido pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), do governo federal, que supervisiona os trabalhos. Não há certeza sobre qual será o uso futuro da ponte, nem sobre o prazo necessário à conclusão total das obras.

A revista Téchne de agosto (173) traz reportagem completa sobre os desafios para o restauro da ponte Hercílio Luz. Confira em breve.

 

FONTE: http://www.piniweb.com.br/construcao/tecnologia-materiais/governo-de-santa-catarina-vai-criar-fundacao-para-captar-recursos-227261-1.asp

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s