Investimento em infraestrutura será motor do crescimento do País, avalia Ministério da Fazenda

Os economistas do Ministério da Fazenda avaliam que obras de infraestrutura serão um dos principais motores do crescimento do Brasil de 2012 a 2014. De acordo com o último boletim “Economia Brasileira em Perspectiva”, publicado pela Secretaria de Política Econômica, os investimentos  em segmentos essenciais de infraestrutura no período terão expansão de 54%, em comparação com os anos de 2006 a 2009, somando R$ 381 bilhões.

O valor previsto para aporte em infraestrutura no quadriênio é superado apenas pelo previsto nos setores de edificações (R$ 607 bilhões) e indústria (R$ 603 bilhões). O setor de petróleo e gás, mesmo com a perspectiva de investimento no Pré-Sal, deverá investir R$  378 bilhões no período, R$ 3 bilhões menos do que o previsto em infraestrutura. A maior expansão dos aportes em termos relativos se dará na área de portos, com alta de 260%. As inversões em ampliação, reformas e melhorias devem chegar a R$ 18 bilhões no quadriênio.

Já o setor de energia elétrica, apesar de apresentar crescimento relativo menos expressivo (34%), na comparação da projeção de 2011 a 2014 com os valores registrados de 2006 a 2009, absorverá o maior volume de recursos, um total de R$ 139 bilhões.

A área de telecomunicações receberá aporte de R$  72 bilhões no período, expansão de 16%. Saneamento aplicará R$ 41 bilhões, alta de 58%, e transporte rodoviário R$ 70 bilhões, alta de 70%.

O Ministério da Fazenda utilizou dados do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) para realizar as projeções apresentadas neste estudo.

PAC
Para a Secretaria de Política Econômica do Ministério da Fazenda, um dos fatores que explicam a alta dos investimentos em infraestrutura é a intensificação da liberação de recursos do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC 2).

Segundo o boletim, a execução orçamentária  da segunda fase do PAC apresentou “grande crescimento”, alcançando R$ 143,6 bilhões até setembro de 2011, aumento de 66% entre junho e setembro. Até este mês, o PAC 2 alcançou volume de pagamento 22% superior em comparação com o mesmo período de 2010.

O valor, no entanto, representa  apenas 15% do total programado para o período de 2011 a 2014.

Anúncios

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s