Rio de Janeiro iniciará obras de seus primeiros reservatórios

Projeto que pretende acabar com os alagamentos no Maracanã e Praça da Bandeira desviará águas do rio Joana por meio de galeria até a baía da Guanabara

A Rio-Águas iniciará no dia 28 de janeiro as obras para acabar com os alagamentos na região do Maracanã, Praça da Bandeira e toda região da Tijuca. A solução envolve a construção de quatro reservatórios de acumulação e o desvio de parcela das águas do rio Joana, que desembocaria no Canal do Mangue, para a baía de Guanabara por meio de uma galeria. Uma parcela das águas do Rio Maracanã também será desviada para o Rio Joana evitando, assim, transbordamento no Canal do Mangue.

As intervenções consideram uma Taxa de Retorno (TR) de 25 anos e objetivam dar destino alternativo a 100 mil m³ de água por segundo que escoariam para o Canal do Mangue. Para a construção da galeria que desviará as águas do rio Joana para deságue independente na baía de Guanabara, a Rio Águas utilizará método não destrutivo por uma extensão de 2,4 km.

O sistema utilizado será o NATM (New Austrian Tunnelling Method), com uso do jumbo de perfuração. Para garantir a estabilidade do solo durante a perfuração, serão usados sistemas de cambotas com enfilagem. Estão previstos dois embosques de entrada, uma na praça Garrastazu Médice e outro na Quinta da Boa Vista.

O desvio do Joana seguirá pela linha férrea e passará pelo morro de São Cristovão, na rua Fonseca Telles. Segundo o projeto, as águas do rio Maracanã serão desviadas apenas quando o nível dos rios alcançar limite máximo. Para suportar a vazão extra do Maracanã, a calha do Rio Joana será reforçada no trecho entre a rua Francisco Eugênio e seu deságue no Maracanã.

Os quatro reservatórios previstos no projeto também serão acionados quando o nível das calhas dos rios atingir o limite máximo. Eles serão construídos em pontos estratégicos da Bacia do Canal do Mangue. O maior deles – o único aberto – terá capacidade para acumular 143 mil m³, amortecendo o pico de vazão do rio Joana. Outro captará as águas do rio Trapicheiros, terá capacidade de 70 mil m³ e ficará próximo à rua Heitor Beltrão. Para captação do excedente da microdrenagem do entorno da Praça da Bandeira será construído um pequeno reservatório com capacidade para 18 mil m³. O último reservará as águas da chuva no Alto Grajaú e influenciará diretamente o pico de vazão do rio Jacó.

A liberação da água dos quatro reservatórios será feita por meio de bombas, operadas por técnicos do Centro de Operações do Rio (COR), que atualmente fazem o monitoramento dos rios e farão também o monitoramento e manutenção dos reservatórios. Para evitar o acúmulo de resíduos sólidos nos reservatórios, a Rio Águas prevê a construção de caixas de retenção à montante das bacias e grades na entrada de água dos reservatórios.

As obras da bacia do Canal do Mangue estão inseridas no Plano de Aceleração do Crescimento (PAC 2) e terão investimento de R$ 292 milhões do Governo Federal, com contrapartida da prefeitura do Rio de Janeiro. O prazo previsto para conclusão é de 24 meses.

FONTE: http://www.piniweb.com.br/construcao/infra-estrutura/rio-de-janeiro-iniciara-obras-de-seus-primeiros-reservatorios-245331-1.asp

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s