Falta água no Brasil?

Em tempos de crise hídrica no Brasil talvez alguns engenheiros se arrisquem a dizer que falta, sim, água no País. Contudo, sabe-se que definitivamente o Brasil dispõe de muita água, mesmo em tempos de seca. Pelo território brasileiro passa o maior rio do mundo, o Amazonas. O Brasil é o país com a maior reserva de água do mundo, em torno de 12 a 13% de toda a água potável do mundo. Mas infelizmente, um dos que mais abrigam o desperdício. Portanto, se, como foi dito, não falta água no Brasil, a pergunta imediata que vem em consequência desse fato é: por que, então, que brasileiros sofrem por falta de água?

O Estado de Israel há muitos anos atrás já respondia a essa pergunta referente ao seu povo. Desde então, políticas extremamente eficientes e inovadoras são tomadas para resolver as causas do porquê os israelitas sofrem por falta de água. E eles conseguiram.

Primeiro, é preciso entender que Israel apresenta uma precipitação bem diminuta, variando de 70cm no norte a 5cm ao sul ao ano, já no sertão semi-árido brasileiro chove em média 75 cm – mais do que a região mais chuvosa de Israel -, além de maior parte do seu território ser desértico, no chamado Deserto de Negev. Assim, com problemas climatológicos tão agravantes desde sua criação, Israel se especializou em captação, gestão e armazenamento e reaproveitamento de recursos hídricos mais do que qualquer outro país do mundo, sendo, portanto, a maior referência mundial no combate contra a seca.

Alguns dizem que o sistema Lean não é uma tecnologia de empresas, mas um modo de vida. Israel parece levar isso muito a sério quando se fala de água. De fato, é impressionante a capacidade que eles têm de trabalhar com quantidades exatas, sem nenhum desperdício de água e com reaproveitamento de 100% em algumas cidades, como Tel Aviv. Evitar ao máximo o desperdício, um dos princípios do Lean, que é rigorosamente aplicado em todos os processos que demandam água em Israel. Todo o esgoto tratado em Tel Aviv é tratado e usado para irrigar as plantações no deserto, e a água utilizada para banho e descarga de residências é tratada na maior estação do Oriente Médio, Shafdan. Depois de passar pelo tratamento, o recurso percorre 100km em dutos até chegar ao deserto de Negev, onde irriga as plantações. Esses dutos longos costumam sofrer vazamentos, agravando, assim, o desperdício de água. Recentemente, porém, uma Startup desenvolveu uma solução para os vazamentos de canos: a solução consiste em um material que é colocado dentro do trecho do cano que tem o vazamento, preenchendo o buraco internamente, acabando com o vazamento sem necessidade de escavação e obras. Além disso, outra solução encontrada são os arejadores acoplados às torneiras domésticas, reduzindo, mais uma vez, drasticamente o consumo de água.

Todos esses métodos são importantes para a economia de água em Israel, mas o método mais eficiente e inovador que esse país desenvolveu foi a famosa tecnologia de gotejamento. É sabido que grande parte da utilização humana da água é reservada à agricultura. O engenheiro Simcha Blass propôs um método de irrigação que economiza em até 60% da água, em um país como Israel, economizar 60% de água é um progresso fundamental no desafio da seca. Israel hoje possui uma vasta produção agrícola nas condições mais adversas – solo pobre, salino e desértico – graças ao método de gotejamento. O sistema consiste em permitir que a planta receba a quantia exata de água para seu desenvolvimento, tendo a irrigação atrelada à fertilização, assim, essa água utilizada no gotejamento possui adubo em concentrações exatas para o desenvolvimento da planta, sendo, ainda, aplicável em todos os tipos de cultivos, garantindo alta eficiência e produtividade. Somando isso a uma expressiva parcela de 50% da água de irrigação provier da reciclagem, temos o método que mais revolucionou o problema hidrológico do país.

Outra medida extremamente importante tomada é investir em conhecimento e soluções inovadoras. Tel Aviv é o segundo maior ecossistema empreendedor do mundo – perdendo apenas para o Vale do Silício -, e é nesse meio que as empresas de tecnologias vão surgindo com o fim de resolver os problemas vivenciados pela sociedade. A partir desse ecossistema, surgiu um evento chamado Watec, uma feira sobre tecnologia de água e energias renováveis – setores em que o país se destaca mundialmente devido ao seu pioneirismo. Essa feira proporciona o desenvolvimento de várias novas tecnologias para evitar o desperdício de água, novos métodos de captação e reutilização.

Ademais, a pouca precipitação em Israel não deixa de ser aproveitado. O país construiu 225 reservatórios para recolhimento de água pluvial e água de reuso. Outra solução encontrada pelos israelitas é a dessalinização de água. Por ser um país situado em torno de três mares: mediterrâneo, morto e vermelho a dessalinização foi adotada como uma solução muito interessante aos israelitas, de tal modo que a maior usina de dessalinização do mundo se encontra em Israel. Além dela existem outras duas usinas, o que faz desse país um dos maiores dessalinizadores de água do mundo.

 

É fato também que Israel encontra-se no meio de 3 mares, além de dispor de rio perenes e ser um território pequeno e economicamente forte, o que facilitaria a resolução dos problemas com água, contudo outras dificuldades existem e seus engenheiros tiveram de enfrentar e superar para que hoje Israel pudesse utilizar confortavelmente a água que não lhe falta. Problemas sempre haverão de vir, em situações diferentes e dificuldades diferentes, entretanto, os engenheiros são tecnicamente os responsáveis por encontrar uma solução que possa melhorar a vida das pessoas em sociedade.

Não queremos dizer que o Brasil deveria ser Israel, afinal o país do Oriente Médio possui muitas vantagens naturais em relação ao nordeste brasileiro, o que, em muitos casos, tornam as soluções de engenharia de Israel não aplicáveis no Brasil. Mas podemos perceber que as soluções adotadas em Israel diferem das soluções clichês que geralmente são propostas para o problema da seca no nordeste. O questionamento é: ações de sempre algum dia gerariam resultados diferentes? Israel arriscou em ações inovadoras, audaciosas sempre sobre o comando de um engenheiro. Será que as mesmas soluções de engenharia que vêm sendo implantadas desde a década de 70, 80 funcionam para o paradoxal problema da seca em algumas regiões do Brasil?

blog

Shafdan: a maior estação de tratamento do Oriente Médio.

Autor: Felipe Corso

Anúncios

Um comentário sobre “Falta água no Brasil?

  1. Pingback: Falta água no Brasil? | ENGEFROM ENGENHARIA

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s