Custo da construção civil sobe 7,58% em 2011

O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC), do Instituto Brasileiro de Economia (Ibre) da Fundação Getulio Vargas (FGV), registrou em 2011 variação positiva de 7,58%. Em dezembro, a taxa foi 0,35%. O índice é calculado com base nos preços de materiais, equipamentos, serviços e mão de obra da construção civil.

O destaque ficou com a mão de obra, com uma elevação de 10,72%, em 2011. O índice referente a materiais e equipamentos teve alta de 4,19% no ano e o de serviços subiu 6,18%. Continuar lendo

Anúncios

“Brasil não tem cultura de realizar manutenção em obras”, afirma engenheiro

 José Roberto Bernasconi, presidente do Sinaenco-SP, defende criação de programas permanentes de manutenção de obras

 
  A queda de uma parte do passeio e da mureta de proteção da Ponte dos Remédios, na última quarta-feira (23), em São Paulo, mais uma vez trouxe à tona a discussão sobre a necessidade de um programa efetivo e contínuo de reparos e manutenção nas obras de arte não só da capital paulista, mas de todo o País. As medidas realizadas pelo poder público em geral não caminham com a urgência de manutenção que as construções demandam. A prefeitura de São Paulo, por exemplo, através da Secretaria de Infraestrutura Urbana e Obras (Siurb), afirma que já investiu cerca de R$ 120 milhões em serviços de reparos, manutenção e reforço estrutural de 27 obras de arte da cidade entre 2006 a 2011. A prefeitura tem um plano junto ao Ministério Público Estadual de São Paulo para manutenção das estruturas.
  Divulgação: Sinaenco

 
Ainda assim, o plano não parece ser suficiente. Segundo o presidente do Sindicato Nacional das Empresas de Arquitetura e Engenharia Consultiva do Estado de São Paulo (Sinaenco-SP), José Roberto Bernasconi, “a questão é que o Brasil como um todo não tem a cultura da realizar manutenção nas suas obras”. “É necessário que se façam programas permanentes de manutenção, para evitar que problemas maiores aconteçam”, disse. O Sindicato tem realizado nos últimos anos uma série de estudos em várias capitais do País sobre as condições das obras de infraestrutura e tem repassado aos governos locais as patologias encontradas, com sugestões de melhorias.
 
Confira entrevista com o engenheiro:

Com o maior faturamento do setor, Odebrecht não paga o melhor salário aos operários

Empresa teve o maior lucro de sua história em 2010. Representantes dos trabalhadores da construção civil frisam questões menos favoráveis quanto às médias salariais

Com o maior faturamento do setor, Odebrecht não paga o melhor salário aos operários

Obras da Arena Fonte Nova, em Salvador, em junho de 2011:

Odebrecht é a maior construtora do país, mas paga baixos salários

Saiba quanto é pago aos trabalhadores após o pulo.

Continuar lendo

Sudeste é a região mais cara para construir: R$ 842,01 por metro quadrado

Os moradores da região Sudeste foram os que mais desembolsaram na hora de construir um imóvelno mês de outubro.

Pesquisa do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), divulgada nesta sexta-feira (11), revela que o custo do metro quadrado na região chegou a R$ 842,01, incluindo materiais e mão-de-obra, enquanto que o custo médio nacional atingiu R$ 805,67 no mês passado.

Em seguida estão as regiões Norte, onde o valor do metro quadrado alcançou R$ 818,08;Centro-Oeste, onde os custos atingiram R$ 807,11; e Sul, com o metro quadrado a R$ 801,76. Os moradores do Nordeste, por sua vez, foram os que pagaram menos na hora de construir no mês passado: R$ 759,41. Continuar lendo

Custo da construção civil aumentou 0,38% em outubro

O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), calculado mensalmente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em convênio com a Caixa Econômica Federal (CEF), registrou variação de 0,38% em outubro, 0,19 ponto percentual acima da taxa apresentada em setembro (0,19%). No ano, o índice já registra aumento de 5,13% e nos últimos 12 meses a alta foi de 6,13%. Continuar lendo

Tecnologia para a construção

Clique para Ampliar

Movida a diesel e montada sob esteira, a máquina pode ser usada em pedreiras e em diversos tipos de obras

A LokotrackLT106s tritura quaisquer tipos de rocha e concreto, podendo ser utilizada em vários tipos de obras

O incremento no número de obras de infraestrutura, viárias, de açudagem e na edificação de imóveis no Ceará e no País, vem elevando o consumo de vários insumos básicos, como areia, cimento e ferro e aço.
Continuar lendo

Inflação na construção civil desacelera em setembro

A inflação na construção civil perdeu força em setembro, de acordo com dados divulgados hoje pela Fundação Getúlio Vargas (FGV). O Índice Nacional de Custo da Construção – Mercado (INCC-M), que mede a evolução de preços no setor, subiu 0,14% neste mês, taxa menor do que a apurada em agosto, quando avançou 0,16%. Até setembro, o INCC-M acumula altas de 6,46% no ano e de 7,64% em 12 meses. O índice representa 10% do Índice Geral de Preços – Mercado (IGP-M).

Continuar lendo

Abre-se o leque de fôrmas para concreto

Das tradicionais e econômicas fôrmas de madeira à sofisticação das metálicas. Para cada padrão de obra e tipo de uso há várias soluções técnicas.

Antes, única opção em fôrmas para concreto, nos últimos anos a madeira vem abrindo espaço para novas tecnologias. Colaborou para esse cenário a evolução do setor fabricante e a atenção das construtoras com a sustentabilidade nos canteiros de obras, evitando a geração de resíduos. O engenheiro Vinicius Farias Santos, pós-graduado em Gerenciamento de Projetos na norte-americana UC Berkeley, lembra que hoje há uma ampla gama de sistemas metálicos, como os estruturados em aço com fechamento ou face de contato constituído em chapa compensada plástica ou fenólica e aqueles totalmente construídos em aço; os sistemas de fôrmas plásticas; fôrmas de alumínio; e outras possíveis variações entre esses sistemas. Essas diferentes opções têm suas aplicações especificas, de acordo com o tipo e tamanho da obra.

Continuar lendo

Cresce interesse de construtoras por importação de equipamentos

Real forte e alta demanda por equipamentos para locação fazem empresas buscarem máquinas no exterior
Divulgação

Grandes construtoras brasileiras pretendem recorrer à importação de máquinas e equipamentos para contornar os problemas de abastecimento no mercado interno. As ofertas de países exportadores e o dólar em patamares competitivos, apesar das recentes altas na cotação da moeda, tornam os equipamentos estrangeiros atraentes para o setor.

Já há alguns anos empresas estrangeiras, principalmente da China, têm comparecido em grande volume nas feiras de materiais e equipamentos de construção que ocorrem no Brasil. E muitos defendem que a qualidade desses produtos, antes precária, melhorou muito nos últimos anos.

Continuar lendo

Vendas de materiais de construção cresceram 6,79% em agosto

No mês de agosto, as vendas internas de materiais de construção subiram 6,79% na comparação com o mês de julho deste ano, segundo a Abramat (Associação Brasileira da Indústria de Materiais de construção). Na comparação com agosto de 2010, as vendas deste ano apresentaram crescimento de 6,07%.

Continuar lendo