Projeto regulamenta profissão de pedreiro, com piso de R$ 1,5 mil

A Câmara analisa o Projeto de Lei 2774/11, do deputado Andre Moura (PSC-SE), que regulamenta a profissão de pedreiro e fixa o piso salarial de R$ 1,5 mil por mês ou R$ 8,52 por hora. O valor, segundo a proposta, deverá ser revisto anualmente de acordo com a variação do Índice Nacional dos Preços ao Consumidor (INPC).

O texto exige como qualificação mínima de pedreiro o ensino fundamental completo e curso básico específico para a profissão. Quem estiver na atividade como pedreiro há mais de dois anos, contados da vigência da lei, será dispensado dessas exigências. Continuar lendo

Anúncios

Governo do Paraná cria programa de residência técnica para engenheiros civis e arquitetos

O Governo do Paraná, por meio da Secretaria da Ciência, Tecnologia e Ensino Superior, firmou uma parceria com o Instituto de Tecnologia do Paraná (Tecpar) para a criação do Programa de Residência Técnica para Engenheiros e Arquitetos. A iniciativa prevê treinamento e formação especializada em obras públicas para recém-formados das universidades estaduais nas áreas de engenharia e arquitetura, a exemplo do que acontece com os profissionais da saúde com a residência médica.

Continuar lendo

Construção civil e logística em alta com a Copa de 2014

Evento esportivo deve gerar 700 mil novos empregos, diretos e indiretos. Hotelaria, logística e TI também estão buscando profissionais.

 
 
A Copa do Mundo de 2014 está realizando os sonhos do engenheiro civil Fábio Prado, de 25 anos. Antes mesmo de terminar a faculdade, em 2009, ele já sabia que gostaria de trabalhar com construção de estádios. Com o evento esportivo, ele conseguiu emprego no escritório responsável pelos projetos de engenharia do estádio do Corinthians, em São Paulo, do Grêmio, em Porto Alegre, e o da cidade do Recife.

Com o maior faturamento do setor, Odebrecht não paga o melhor salário aos operários

Empresa teve o maior lucro de sua história em 2010. Representantes dos trabalhadores da construção civil frisam questões menos favoráveis quanto às médias salariais

Com o maior faturamento do setor, Odebrecht não paga o melhor salário aos operários

Obras da Arena Fonte Nova, em Salvador, em junho de 2011:

Odebrecht é a maior construtora do país, mas paga baixos salários

Saiba quanto é pago aos trabalhadores após o pulo.

Continuar lendo

Construção civil é o setor com maior rotatividade de trabalhadores

Segundo o Dieese, 86,2% dos empregados são demitidos pela própria empresa

A taxa de rotatividade na construção civil é a maior de todos os setores. As demissões de trabalhadores pela própria empresa chegam a 86,2%. Os dados foram divulgados hoje (23) pelo Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), com base em números de 2009 da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE). O estudo está disponível no site do Dieese.

 Esse valor fica ainda maior quando se leva em conta fatores alheios à vontade das empresas, como aposentadoria, morte ou demissão voluntária: 108,2%. Isso significa que, para cada vínculo do estoque médio do setor, em cada ano, existiram um ou mais vínculos desligados. Esse cenário só se repete no setor da agricultura. Segundo o Dieese, deve-se levar em conta a questão singular dessas duas atividades, que tem duração limitada pela própria característica da atuação. Continuar lendo

Trabalhadores de obras da Copa do Mundo querem isonomia salarial

Sindicatos dos trabalhadores da construção civil vão apresentar pauta com reivindicação de piso salarial unificado nas cidades-sede e melhores condições de trabalho

São Paulo – Os sindicatos dos trabalhadores da construção civil contratados para as construções dos estádios e obras relacionadas à Copa do Mundo 2014 e aos Jogos Olímpicos vão apresentar até o início de dezembro carta com as reivindicações da categoria para as entidades sindicais patronais, Ministério do Trabalho e Secretaria-Geral da Presidência da República.

Continuar lendo

País vai capacitar 100 mil trabalhadores da construção por R$ 1 mil cada

Em um investimento individual de R$ 1 mil para a formação de 100 mil trabalhadores da construção, o país pretende sanar um problema que retarda seu crescimento. A falta de qualificação profissional e o alto volume de investimentos em obras de infraestrutura foram os dois fatores determinantes para a assinatura de um acordo de cooperação técnica entre governo, indústria e trabalhadores, que tem como meta desenvolver a capacitação em quatro anos com recursos da ordem de R$ 100 milhões do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT).

A primeira etapa do Plano Setorial de Qualificação Nacional da Construção Civil, em 2012, vai abranger 25 mil trabalhadores interessados na profissão de ajudante, carpinteiro, armador, motorista, eletricista e pedreiro, entre outros. Além da formação técnica, o objetivo também é potencializar o desenvolvimento intelectual, técnico e cultural dos participantes.  Continuar lendo

Aço Galvanizado:Material é base para grandes obras de engenharia

“Sede da Fundação Iberê Camargo, em Porto Alegre (RS)  é a construção mais vistosa a utilizar o aço galvanizado combinado ao concreto branco”
 

O sucesso das estruturas metálicas se espalha de um lado a outro do planeta, mas poucos exemplos são tão exuberantes como a ponte Akashi-Kaikyo, no Japão. Ligação entre a cidade de Kobe e a ilha Awaji, ela é considerada a maior ponte suspensa do mundo. O vão central tem nada menos de 1.991 metros, sustentado por 290 feixes de cabos, cada um com 127 fios – todos de aço galvanizado.

Continuar lendo

Sinduscon vê oportunidade de atrair negócios na crise

A aposta é que investidores olhem mais para o Estado, com medo de aplicar recursos nos EUA e na Europa

Se a atual crise econômica internacional tem causado dores de cabeça em empresários dos Estados Unidos e de países europeus, no Ceará, ela surge como uma oportunidade de crescimento para a construção civil. A previsão foi feita pelo presidente do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Ceará (Sinduscon-CE), Roberto Sérgio Oliveira. “Os investidores ficarão com medo de investir no exterior e olharão com mais atenção para o nosso Estado”, garantiu.

Segundo o executivo, o otimismo envolvendo a crise é oriundo da expansão em obras de infraestrutura que a região presencia. “Em razão disso, tornou-se uma tradição que, ano a ano, o Ceará cresça, no segmento, mais que (a média do) próprio País”. Oliveira também comemorou o aumento de 7% no acumulado pelo ramo no último trimestre, em relação a igual período do ano anterior, segundo dados divulgados pelo Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece). “Esse resultado é excelente, tendo em vista que, em 2010, o mercado já foi bastante aquecido”, lembrou. Continuar lendo